Retratos do Fim da Linha

Alexandra

Alexandra tem apenas 18 anos mas já vive na Inabú desde os 15 com seu marido e duas filhas. Uma das meninas, inclusive, nasceu na antiga fábrica. A família morava de aluguel na favela do Jacarezinho, mas após a perda de emprego do marido, eles precisaram encontrar outro lugar pra viver. Uma vizinha mencionou sobre a Inabú, então eles, que não tinham para onde ir, se juntaram à invasão do antigo abatedouro industrial. “Foi bom”, diz, referindo-se ao fato de não precisar mais pagar aluguel.

Sobre as condições de vida locais, reclama bastante da falta d’água e das quedas de energia, que “estragam as coisas da geladeira”. Estudou apenas até a terceira série, tendo já trabalhado em cozinhas e restaurantes. Hoje não exerce atividade profissional. Suas duas filhas frequentam creche municipal.

Um capítulo trágico de sua trajetória e ocorrido ali mesmo na ocupação, foi a queda que sofreu de uma laje. Lamentavelmente, estava grávida, grávida de 6 meses, e de gêmeos. Os bebês não sobreviveram…

Perguntada sobre sonhos, Alexandra fala que seu único sonho é ter uma casa de verdade para suas filhas. “Pra tudo penso primeiro na minha família”.