Retratos do Fim da Linha

Carminha

“Agora tão olhando por nós!”, Carminha comenta em relação ao fato de estar sendo entrevistada.

Carminha veio da Bahia para o Rio há 15. Há 12 já mora na Direne, é uma das moradoras mais antigas. Morava no Jacarezinho mas era aluguel e não conseguiu manter. “Não era bom, mas pelo menos era um lugar”. Tem 4 filhos e marido, todos moram em um quarto no térreo do antigo prédio da fábrica.

Trabalha entregando panfletos, ou fazendo faxinas “quando tem”, ou seja esporadicamente. “Fora isso fico parada”, sem trabalhar.

Fala que viver na Direne é um “empurrar com a barriga. Muito esgoto e rato. Muita gente nos critica dizendo que aqui não é lugar pra morar. Mas se não for aqui, só temos a rua. Agora, graças a Deus, estamos esperando mudança… Criança aqui quase não brinca”.