Retratos do Fim da Linha

Fabiana

Fabiana está próxima de uma década morando nos fundos de um prédio anexo à fábrica de plásticos. São nove anos neste papel de invasora de fábrica. Sua casa fica numa área aberta. Veio de Manguinhos, como muitos outros moradores. “Comprei isto aqui numa brincadeira com um amigo no baile (funk). Não pensava em vir morar aqui. Mas tive que sair da casa da minha mãe, acabei indo morar na casa dos outros. Vim pra cá com meus três filhos e o pai da minha filha mais nova. Quando cheguei tinha uma saída de esgoto dentro da casa. Joguei concreto dentro do esgoto. Aqui é muito mosquito, muito rato, o esgoto quando entope enche tudo”.

Fabiana que trabalha de auxiliar de serviços gerais, gostaria, se pudesse escolher, ter seu próprio negócio, “ser uma empresária”, ter um pequeno restaurante.